Autoras da casa: Milaynne Barros

Por: Leia Mulheres | Em: 12 / abril / 2021

Em março de 2021 o Leia Mulheres completa seis anos. Ao longo desse tempo, conhecemos o trabalho de muitas mediadoras do projeto, que também são talentosas escritoras.

Como uma forma de comemorar o nosso aniversário e para homenagear essas mulheres que se dedicam ao Leia Mulheres, decidimos divulgar o trabalho das mediadoras enquanto escritoras. Leia Mulheres, inclusive as que leem outras mulheres. :)

JUNTOS

Quando ele chegou em casa ela estava na varanda do quintal ouvindo música, deitada na cadeira preguiçosa bebendo refrigerante. Ela esperava como o crente espera pelo Messias.

Como era linda aquela mulher e todas as outras mulheres que ela já tinha sido nessa vida. Assim que ele chegou mais perto sentiu o cheiro que mais gostava no mundo, o cheiro do perfume dela, um cheiro que não tinha marca, era o cheiro do amor, o cheiro da casa deles dois e dos lençóis.

Ele chegou como chega o inevitável. Trouxe da rua a presença do tempo e ela se lembrou de todos os homens que ele já havia sido nessa vida e ficou contente por ter amado e sido amada por todos eles.

– Faz quantos anos? Ele começou.

– Muitos anos. Ela respondeu baixando um pouco mais o volume. O tom de voz era nostálgico

– Quem diria, não, é? Depois de tanto tempo…

– Eu sempre pensei no fim. Não todo dia, mas eu sempre tive curiosidade de saber como seria o fim, se a gente tivesse um fim.

– Superamos as expectativas novamente?

– Superação é nosso nome.

– Parece que não dessa vez.

– Parece, que principalmente, dessa vez. Só não sei onde e qual foi o erro.

– Os acertos são o que importam. Só acho que algumas palavras começaram a faltar.

– A gente não fala mais que se ama e que se adora porque tem medo de conjugar o verbo no passado. Eu me lembro do tempo que eu imaginava se teríamos um verbo para conjugar juntos, depois qual seria o correto. Tivemos a fase de ter muitos verbos para conjugar tanto junto quanto separados. Hoje temos medo do tempo.

–  O medo do tempo é o ponto final?

– Será? Eu não queria dizer adeus pra essa vida.

– Somos dois.

Depois de uma pausa prolongada o CD acabou. Os dois despertaram como desperta o estudante na segunda-feira pela manhã.

Ele disse:

– Vou ajeitar minhas malas. Ele disse com a voz trêmula, disfarçando o choro.

– Não, não vai.  – Ela respondeu, enquanto os olhos cuspiam longas lágrimas. – Ninguém nessa relação vai ficar para trás. Nós vamos ajeitar nossas malas juntos, vamos embalar nossas coisas juntos, vamos sofrer essa dor juntos. Vamos deixar essa casa juntos e sair por aquela porta juntos. E ao chegar à rua tomaremos rumos opostos JUNTOS.

Milaynne Barros – Piauiense colecionadora de travessias, mestra em Letras e mãe da Pérola. Mora em Piripiri e é mediadora do Leia Mulheres desde 2018.

Leia Mulheres

Veja outros posts de Leia Mulheres