Aqui estão os sonhadores

Por: Taluana Wenceslau | Em: 17 / janeiro / 2019

O livro Aqui estão os sonhadores é o primeiro romance da escritora Imbolo Mbue, nascida em Camarões e radicada nos Estados Unidos há mais de uma década. O jornal The New York Times considerou a obra feroz e apaixonante e essa crítica realmente representa muito bem o livro, que conta a história de uma jovem família camaronesa que se mudou para os Estados Unidos em busca de viver o ‘sonho americano’, na cidade de Nova Iorque, entre o final do governo Bush e o começo da era Obama.

O romance começa com uma atmosfera relativamente leve, com a chegada ainda recente da esposa e do filho do protagonista masculino ao país -que já havia imigrado uns anos antes- e o início dele em um emprego novo com ótima remuneração e condições de trabalho. Jende passa a trabalhar como chofer para uma família nova-iorquina que vive uma existência de aparências, cercada por todo o luxo que os rendimentos de um executivo de um gigante do mercado financeiro podem comprar. No transcurso da história, a grande crise financeira de 2008 que atinge Wall Street também abala as estruturas dessas duas famílias.

Chama a atenção o certo paralelismo que ocorre entre as histórias dos dois casais principais, não obstante pertençam a grupos tão distantes, quase opostos (estadunidenses brancos e muito ricos versus imigrantes africanos negros e pobres), a estrutura principal se repete em ambos: por um lado, homens provedores lidando com problemas no trabalho e tendo que rever suas prioridades e metas, por outro lado, mulheres que buscam seu lugar na sociedade e lutam por sua família, mas cuja felicidade ou infelicidade parecem estar bastante condicionadas às suas relações com os homens, tanto as do passado, com seus progenitores, como as do presente, com seus maridos.

Embora a história comece com a perspectiva do personagem masculino, a camaronesa Neni assume o protagonismo em grande parte da narrativa. E, de fato, o episódio mais marcante para mim é quando há um confronto entre as duas mulheres das famílias centrais. Nesse acontecimento, lidamos com um dilema ético-moral muito complexo, em que é difícil não terminar se solidarizando com ambas as partes em certa medida. Aliás, em vários momentos da obra, me coloquei no lugar de vários das/os personagens e fiquei analisando o que acho que eu faria ou não diante das situações contadas, acho que isso demonstra uma habilidade de escrita muito poderosa da autora.

Ao longo do livro, são expostas várias questões complexas, referentes a machismo, racismo, xenofobia, orientação sexual, capitalismo e saúde mental. Meu único incômodo foi a abordagem em relação a um episódio de violência doméstica, não vou detalhar muito para não revelar sobre a trama, mas fiquei confusa se houve uma aceitação da justificativa apresentada ou se, na verdade, a escritora quis deixar para o julgamento de quem lê, até porque, senti que isso acontece muito no romance, que realmente há uma intenção geral de Mbue de não exercer o papel de juíza, mas sim de deixar as reflexões para as/os leitoras/es.

Aqui estão os sonhadores é uma obra cuja tensão e intensidade vão aumentando ao decorrer da leitura, tanto revelando a falsa perfeição do suposto estilo bem-sucedido de vida dos estadunidenses, como expondo as alegrias, dificuldades, sonhos e decepções da vida imigrante nos Estados Unidos, especialmente para aqueles em situações de vulnerabilidades sociais e econômicas.

Um livro muito bem escrito e envolvente. Com certeza recomendo a leitura.

 

Taluana Wenceslau

Taluana Wenceslau é uma das mediadoras do Leia Mulheres Goiânia e é pesquisadora de temáticas sobre a participação das mulheres e representações de gênero na cultura e na mídia, especialmente da América Latina.

Veja outros posts de Taluana Wenceslau