Entrevista: Alice Sant’anna

Por: Leia Mulheres | Em: 23 / Abril / 2018

Alice Sant’anna, além de poeta, também é editora da Companhia das Letras. Ela é responsável pela obra da Hilda Hilst. Batemos um papo com ela e o resultado você confere abaixo.

Você edita Hilda desde que a autora foi para a Companhia das Letras. Ela é uma influência na sua escrita? 

Sim, muito. Li A obscena senhora D quando era adolescente e fiquei muito impressionada com aquela voz tão diferente de tudo, que transita entre a prosa, a poesia e o teatro, como se unisse todos os gêneros em um só.

Como é editar uma autora como Hilda Hilst? 

É uma grande honra e alegria. A Hilda passou toda a vida querendo ser lida e compreendida e demorou muito para que ela conquistasse o lugar que merecia. Essa trajetória só foi possível graças aos esforços do Massao Ohno, seu amigo e editor entusiasta, e do Alcir Pécora, que no início dos anos 2000 organizou a obra da Hilda na Globo, finalmente uma editora de amplo alcance.

Vocês optaram por reunir toda a poesia em um único volume. Como se deu essa decisão? 

Sim, fizemos isso no ano passado, com o Da poesia, e em maio vamos lançar o Da prosa. A reunião das obras completas é uma chance de o leitor acompanhar todo o percurso da Hilda poeta, ao longo de 45 anos, entre 1950 e 1995, e da Hilda prosadora, ao longo de 27 anos, entre 1970 e 1997.

A Flip vai homenagear a Hilda este ano. Como você acha que vai ser isso? 

Acho que vai ser uma grande Flip. É possível falar sobre a Hilda a partir de muitas perspectivas: do sagrado e do profano, do misticismo, da tradição das odes e trovas, do ponto de vista editorial, literário e biográfico. A Hilda teve uma vida intensa, atribulada, e sempre prezou muito por sua independência. Ou seja, há muitas entradas possíveis, muitas conversas possíveis.

Vocês já têm algum nome que participará das mesas? 

Por enquanto não! Só a mesa de abertura, com Fernanda Montenegro e Jocy de Oliveira.

O que você acha que não pode faltar em uma homenagem à Hilda? 

Rebeldia, intensidade e bom humor.

Quais os próximos lançamentos da Hilda na Cia das Letras? 

Para maio são três: Da prosa (que virá numa caixa, em dois volumes), De amor tenho vivido (uma antologia de 50 poemas de amor ilustrada pela artista mineira Ana Prata) e Júbilo, memória, noviciado da paixão (na coleção poesia de bolso). Em julho, vem A obscena senhora D em graphic novel (adaptada pela artista carioca Laura Lannes).

Leia Mulheres

Veja outros posts de Leia Mulheres