Seis autoras brasileiras quase desconhecidas

Por: Juliana Gomes | Em: 14 / março / 2017

Durante muito tempo a literatura escrita por mulheres foi vista como menor, ou se acreditava que elas não produziam livros de qualidade. Houve muita dificuldade para que mulheres conseguissem publicar seus livros, por isso fiz essa seleção de seis autoras brasileiras que conseguiram ter algum sucesso. Infelizmente isso não foi garantia de que fossem reconhecidas ao longo dos anos. Atualmente estão com suas obras esgotadas e você encontra apenas em sebos e bibliotecas. Essas escritoras por muito tempo foram esquecidas, mas aqui damos destaque a elas e esperamos que suas obras sejam reeditadas.

Laura Santos


Poeta, negra curitibana e uma das fundadoras da Academia José de Alencar. Nasceu em 1931 e não há registros precisos sobre a data de sua morte. Conhecida como “Pérola Negra”, lançou três livros: Sangue tropical, Poemas da noite e Desejo.

Maslowa Gomes Venturi


Paulistana, nasceu em 12 de fevereiro de 1915, começou como tradutora e em 1950 lançou seu primeiro romance, Vozes sem eco. Dona de uma prosa eloquente e política, retratou a sociedade no período pós Vargas e o Estado, dando um tom político aos seus romances.

Teresa Margarida da Silva e Orta


Considerada a primeira mulher a escrever ficção em língua portuguesa, nasceu em São Paulo aproximadamente em 1711 ou início de 1712 (as datas não são precisas). Nobre, mudou aos 6 anos para Portugal onde se casou, foi deserdada e com a morte do marido voltou ao convívio da família aos 40 anos, quando lançou seu primeiro livro com o pseudônimo Dorotéia Engrássia Tavareda Dalmira ( anagrama de seu nome). A primeira edição se chamava Máximas de virtude e formosura, e em 1777 foi reeditado com o nome Aventuras de Diófanes. No Brasil, o mesmo foi lançado apenas em 1945 e está esgotado hoje em dia.
Carmen Dolores, pseudônimo de Emília Bandeira de Melo


Emília é uma das únicas mulheres da estética naturalista da literatura em nosso país. Emília começou a escrever por prazer, depois pela necessidade financeira. Ao morrer em 1910, era a colunista mais bem paga do El País.

Ruth Guimarães


Nasceu em Cachoeira Paulista em 13 de junho de 1920, formou se em Filosofia pela USP. Poeta, mas com foi com o seu romance Água funda que tornou a primeira autora negra brasileira publicada, em 1946. Aos 89 anos foi empossada na Academia Paulista de Letras. Faleceu em 21 de maio de 2014.

Jenny Pimentel de Borba

Nasceu em Serra Negra no dia 26 de maio de 1906. Lançou a revista feminista Valkyrias, logo após as mulheres conseguirem o direito ao voto em 1934. Sem formação acadêmica, lançou cinco romances e ainda foi editora da Revista Fon-Fon.

Créditos da imagem de capa: Edouard Vuillard, Lucy Hessel Reading, 1913, oil on canvas. The Jewish Museum, New York, Purchase: Lore Ross Bequest, 2010-23.

Juliana Gomes

Livreira, consultora comercial e marketing em livrarias e editoras. Exercita sua veia digital na Kontakt.

Veja outros posts de Juliana Gomes