O beijo de Dôra

Por: Leia Mulheres | Em: 4 / maio / 2016

Leia Mulheres chegou a João Pessoa em março de 2016: mês da mulher e aniversário de um ano do clube. Para começar nossas atividades, escolhemos “O beijo de Deus”, livro da contista pessoense Dôra Limeira, falecida em agosto do ano passado. Para nós, moderadoras do Leia Mulheres na cidade, foi muito simbólico iniciar o projeto com uma celebração ao 8 de março, à literatura local e às mulheres da nossa terra. Por isso, convidamos Nara Limeira, filha caçula de Dôra, para participar do lançamento do clube com uma performance teatral de alguns contos do livro escolhido e comentando um pouco da trajetória literária da mãe. Foi um momento muito marcante do nosso primeiro encontro, que registramos nessa resenha de filha pra mãe – convite prontamente aceito por Nara.

A arte circula em todas as gerações da família Limeira, passando de Dôra para suas filhas e netos, quase todos envolvidos em atividades artísticas e culturais em João Pessoa. Nara, por exemplo, é atriz, contadora de histórias, poeta e compositora. Mestra em Literatura pela Universidade Federal da Paraíba e graduada em Letras pela mesma instituição, já coordenou diversas rodas de leitura em espaços públicos e privados. É integrante do grupo de encenações Teatrália e escreve sobre cultura, educação e patrimônio cultural para os jornais A União e Contraponto, assim como para vários portais da internet.

O beijo de Dôra

Nara Limeira

“O beijo de Deus” (Manufatura, 2006) é o terceiro livro de Dôra Limeira. Ao que parece, ela mesma só se considera escritora a partir dele. Dôra começou a escrever depois de completar 60 anos e levou um tempo para se convencer de que era, de fato, contista. Você, mulher que me lê, já ouviu falar nisso antes? O fato é que Dôra publicou um total de seis livros de contos, todos por editoras da Paraíba (Manufatura e Ideia). Participou de várias coletâneas, publicou em suplementos literários e também em sites e blogs. Aliás, ela também atribui sua incursão pela literatura à internet, pois foi onde começou a se mostrar e ser incentivada a publicar. Perguntada sobre o porquê de escrever, Dôra frequentemente respondia: “quero ser lembrada como uma pessoa que passou por aqui”. Hoje me pergunto: tem como esquecer? O desejo dela se cumpre quando “O beijo de Deus” é selecionado para compor a coleção “Latitudes” e é relançado pela Amazon em formato digital. Na versão impressa, o livro tem ilustrações de Vant Vaz, parceiro nas cinco primeiras publicações da autora.

Mas vamos ao beijo. Vou logo lhe assegurando de que este não é um livro religioso, embora Deus esteja do título à última página. É muito mais, e por isso traz em si um grito de personagens desvalidos que, diante de Deus, imploram sua piedade, ou melhor, o seu beijo. São mulheres abandonadas, crianças violentadas, gays abusados, bêbados solitários, velhos à beira da morte. Pessoas comuns que buscam um mínimo lampejo de sentido para a vida, uma fagulha distante de prazer no viver. E esta vida, obra de Deus, integra terra e céu fazendo aparecer o prazer buscado, arrancado pelos dedos,perseguido até o último suspiro com unhas e dentes. Aquele prazer que não se desvincula jamais do símbolo sagrado que é a própria vida diante de Deus.

Dividido em três partes (“Cotidianos”, “Agonizantes” e “Espasmos”), o livro de mini-contos de Dôra imprime uma tensão em poucas linhas e, ao final de cada conto, nos dá a sensação de ‘ufa, ainda bem que são mini’. Entretanto, em muitos contos, nos presenteia com aquela dose de humor que só os bons contadores de história sabem distribuir. Riquíssimo em humanidade, “O beijo de Deus” é para ser revisitado sempre. Comemorando 10 anos de publicação em 2016, o livro foi o primeiro indicado para leitura pelo clube Leia Mulheres João Pessoa. Dôra Limeira assiste a tudo lá de cima e se alegra. Agora, ela, pessoalmente, beija a Deus.

João Pessoa, 21 de abril de 2016.

*Laíza Félix colaborou com esse post, é uma das mediadora do #leiamulheres João Pessoa

Leia Mulheres

Veja outros posts de Leia Mulheres